História


Por ocasião da inauguração do novo quartel, iniciara-se há poucos meses o terceiro milénio, deixamos nas páginas de “Do Sonho à Realidade” uma ténue pista  que começava a responder a uma interrogação que então nos assolava: quando teria começado a verdadeira história dos nossos bombeiros, sendo irrefutável que a data de 17 de Maio de 1932 tão-somente significava o culminar de um processo de consolidação institucional, naturalmente devedor de um outro, quiçá longo e penoso, para até lá se chegar?

A memoria oral vilaverdense, ainda que desperta em alguns concidadãos nossos ainda vivos, todos nascidos no primeiro quarteirão do século passado e um deles no limiar da república, foi-nos deixando pistas valiosas, sobretudo na referência que fomos colhendo a caminhos que nos conduziram ao outro lado da história que desconhecíamos por completo, mas que constituí, podemos agora percebê-lo, quiçá, o naco mais exaltante da história dos nossos bombeiros, consubstanciado no momento em que foram lançadas, por obra valorosa de um punhado de ilustres e empenhados cidadãos de Vila Verde, as sementes que, germinadas, haveriam de produzir a instituição que hoje somos. Todavia, a ponta da meada ainda andava emaranhada e, por aqui, não era humanamente possível chegar a esse 15 de Agosto de 1914 de que fala a acta da reunião de direcção de 6 de Julho de 1958. Foi na memória escrita que achamos a resposta cabal que procurávamos, a tal ponta da meada que andava perdida e que, encontrada, nos possibilitou ligar a génese dos nossos bombeiros ao dia de hoje.

Antiga Viatura dos Bombeiros

Resenha Histórica